23 de set de 2012

Retornando as pistas



As vezes é preciso exorcizar o passado para voltar a sentir o gostinho da vitória.
Voltar a sentir o sabor de uma conquista que se achava tão distante e quando ela chega, se descobre que estava a alguns passos, poucos Km's.
É preciso dar tempo ao tempo, deixar o vento levar as experiências e sentimentos ruins e preservar o que ha de melhor em nós.
Retornar a essas pistas, especificamente esta prova, onde praticamente minha paixão pela corrida começou me deixou com esse sentimento, de superação, de retorno, de conquista.
Claro que é preciso de uma boa dose - e generosa - de dedicação, mas paciência foi minha parceira desde o início.
Essa prova me traz o sentimento de voltar as pistas mais madura, serena, focada.
Nesta semana em que completei 38 anos vários momentos de minha vida passaram na mente como uma história em quadrinhos e amanhã, quando Alice completa 2 aninhos a comemoração não poderia ser diferente. Correndo!
Muito chorei pelo tempo afastado das pistas e me emociono sempre que ouço o soar de uma largada. Agradeço a Deus pela oportunidade de fazer algo que me trás tanto bem estar. Agradeço a Deus pelas pessoas que colocou em minha vida, e ainda coloca, e me proporcionam sentir a vida nas veias, o coração batendo aceleradamente, a endorfina que arrepia a espinha...
Obrigada Senhor
Obrigada minha família
Obrigada meus amigos, todos eles

20 de mai de 2012

O que aprendi com a prova de hoje?




Que é possível vencer as barreiras mentais e consequentemente as físicas também.
Que uma sucessão de imbecilidades e imaturidades pode fazer a diferença.
Que mesmo que você se programe para cumprir uma meta, apesar dos percalços, isso não te afasta do seu objetivo maior.
Que a corrida é um esporte individual e por mais que tenhamos a nítida noção do coletivo, cada um corre atrás de suas próprias metas que serão vencidas ou não.
Que nem tod@s que pensamos e julgamos como amigos torcem ao nosso favor e quando chegam a nossa frente, nem sempre é para nos aplaudir, as vezes é para nos ver tropeçar e cair.
Que manter o foco, a força e a fé é preciso mais do dar um “dane-se” aos outros, é preciso autoconhecimento.

Com certeza, cumprir essa prova teve um significado mais do que especial para mim. Pois apesar de não estar em meus objetivos iniciais correr 10k agora, cumprir essa meta teve um preço alto a ser pago e só o tempo irá dizer se valerá a pena ou não.

Boa semana a tod@s que participaram da Tribuna!